sexta-feira, setembro 21, 2007


Je ne veux pas travailler
Non
Je ne veux pas déjeuner
Je veux seulement l'oublier
Et puis je fume

segunda-feira, setembro 17, 2007

Pink Martini

Descobri que gosto deles tanto quanto as sensações que se fazem pesar na sua música!

Originários de Portland, a sua origem passa despercebida nos ritmos latinos e sul-americanos que a voz de China Forbes personifica em mais de cinco línguas.
As diversas referências culturais fazem-nos contemplar a dinâmica de uma das melhores orquestras de sempre!

Sem fronteiras fazem música do mundo!

Acompanhados de violinos, violoncelos, percussão e sopros, reportam-nos aos mais díspares destinos onde o coração sabe a mel e o mundo, esse, ganha certamente uma nova existência..


Eu, passei a fazer mais sentido e a minha melodia ganhou novos ritmos.

quinta-feira, setembro 13, 2007

Hoje, treze é igual a quatro

"Eu sei que vou chorar
A cada ausência tua eu vou chorar
Mas cada volta tua há-de apagar
O que essa tua ausência me causou."

E dizê-lo cantando a toda a gente

domingo, setembro 09, 2007


"Não sei quantos terão contemplado, com o olhar que merece, uma rua deserta com gente nela. Já este modo de dizer parece querer dizer qualquer coisa, e efectivamente a quer dizer. Uma rua deserta não é uma rua onde não passa ninguém, mas uma rua onde os que passam, passam nela como se fosse deserta. Não há dificuldade em compreender isto desde que se o tenha visto: uma zebra é impossível para quem não conheça mais que um burro."


Livro do Desassossego
Fernado Pessoa

sexta-feira, setembro 07, 2007

Nouvelle Vague

Com cheirinho a Depeche Mode e ao compasso de Moby, eis a banda que fez renascer os grandes títulos do post punk do início dos eléctricos 80's!
Da Cidade Luz, passando até pela Zambujeira do Mar, a 'Bossa 80' começa agora a arrastar legiões!!
Apetece-me mesmo cantar bem alto, no mínimo, genial!



I just can't get enough

quarta-feira, setembro 05, 2007

"Quantas vezes apostaste a tua vida?
Apostei a minha vida mil vezes.
Perdeste tudo?
Sim, perdi sempre tudo."

A criança em ruínas
José Luís Peixoto

Todas as cozinhas tinham um relógio. Menos a minha.

domingo, setembro 02, 2007

"(...)Contigo, perdi tudo o que fui para não ser mais nada. Deixei-me ficar nos sonhos que tivemos. Abandonei-me. Nunca mais entederemos a lua como quando acreditávamos que aquela luz que atravessava a noite nos aquecia. Nunca mais. Nunca mais poderemos sonhar. Nunca mais.(...) "
Excerto de Lunar, in Antídoto
José Luís Peixoto


Gostei muito de te conher. Desejo não te ter doído.